Terça, 17 Agosto 2021 -

A 22 de maio de 2019 foi publicada no Jornal Oficial da União Europeia uma recomendação do conselho relativa a uma abordagem global do ensino e aprendizagem das línguas:

https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:32019H0605(02)&from=EN

O Conselho da União Europeia continua a expressar  que é essencial que os cidadãos europeus saibam, pelo menos, duas línguas estrangeiras além da sua língua materna.

Contudo, isso ainda não acontece e o conselho verificou que "quase metade dos europeus declara não ser capaz de manter uma conversa em qualquer outra língua que não a sua primeira língua. A falta de competências multilingues constitui uma fonte de dificuldades, obstando a intercâmbios significativos entre as administrações públicas e os indivíduos, em particular nas regiões fronteiriças."

Outro facto apontado neste documento é que "apenas quatro em cada dez alunos no ensino secundário atingem o nível de «utilizador independente» na pri­meira língua estrangeira, indicando que são capazes de ter uma conversa simples. Apenas um quarto atinge este nível na segunda língua estrangeira. Uma análise comparativa das línguas na educação e formação mostrou que a maioria dos Estados-Membros enfrenta dificuldades para garantir resultados de aprendizagem adequados no domínio das línguas. Embora existam dificuldades em todos os setores de ensino, estes são particularmente acentuados na educação e formação profissionais, onde é dada menos ênfase à aprendizagem de línguas.